Bem vindo à Clínica Dale

Horários : Segunda a sexta - 8h às 20h
   - Botafogo (21) 2543-3113 l 2543-1355 e Barra (21) 3502-2792

All Posts in Category: Artigos

Reprodução humana e comunidade LGBT

Reprodução humana e comunidade LGBT

Enquanto homem ou mulher, ter filhos é uma alegria que qualquer um merece experimentar. É uma
das funções naturais do ser humano, o mesmo que tato, olfato etc. Não tê-los, poderá significar para
alguns uma lacuna de vida. Outros talvez aprendam a viver sem. Mas é impossível em algum momento
não se refletir sobre o assunto.

Nosso Centro sempre esteve na vanguarda, na oferta de serviços em Reprodução Assistida para todo e
qualquer indivíduo que queira ter filhos. Não fazemos nenhuma distinção quanto à orientação sexual,
apenas seguimos as normas do Conselho Federal de Medicina que impõe determinadas restrições.
Não importa em qual estagio da definição de sua orientação, estamos à disposição para ajuda-los a
conseguir a gravidez desejada, ou preservar a possibilidade de procriação em algum momento de sua
vida.

Estamos aptos a ajudar todos os indivíduos que pensam em um dia procriar usando seus próprios
gametas independente da definição pessoal de vida.

HOMOAFETIVOS FEMININOS:

Inseminação intrauterina: Esperma de Banco de Sêmen

Com útero e trompas saudáveis, uma simples inseminação artificial, poderá alcançar uma gestação. O
ciclo ovulatório é monitorado com a ultrassonografia, utilizando-se o ciclo natural ou estimulado.
Sabemos então o momento que ocorrerá a ovulação, descongela-se a amostra de sêmen, e por um
simples exame ginecológico, uma sonda muito fina e maleável, colocamos direto dentro da cavidade
uterina. A probabilidade de gestação é igual a natureza, dependendo da idade, em média 30/35%.
Quando algum fator tubário existe, uma fertilização in vitro poderá alcançar o objetivo.

Fertilização in Vitro Reciproca:

Mulheres homoafetivas, mesmo sem nenhum problema de fertilidade, pode escolher em extrair óvulos
de uma parceira, fecunda-los no laboratório, com esperma de Banco, e o embrião conseguido, é
transferido ao útero da outra parceira. Isto leva a ambas as parceiras estarem profundamente
envolvidas com esta gravidez.

A parceira que produzirá os óvulos será estimulada com hormônios naturais, aumentando o
recrutamento de óvulos pelos ovários. Este tratamento dura em média 15 dias, com controles de
sangue e ultrassom. No momento que os folículos chegaram ao tamanho ideal, por via vaginal
ultrassonográfica, com leve sedação, aspiramos estes óvulos. Encaminhados ao laboratório contiguo,
aonde serão inseminados pelos espermatozoides de Banco.

A parceira que receberá os embriões conseguidos será preparada em paralelo, com hormônios naturais
orais, para que o útero se prepare para receber o/os embriões.

Após 3 dias de cultivo no laboratório a parceira/receptora, retorna a clínica para a colocação do/dos
embriões no útero, por um simples exame ginecológico, seguido da transferência para o útero.

A chance de engravidar, pode variar de acordo com a idade da parceira/ doadora (idade do ovulo),
sendo em média de 30 a 45%.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina a utilização do esperma de doador, só pode ser
utilizado anonimamente, a partir de Bancos de sêmen. É vedado o uso de sêmen de conhecidos, ou
irmãos e parentes.

HOMOAFETIVOS MASCULINOS:

A única possibilidade de concepção para homoafetivos masculinos é pela doação de óvulos e útero de
substituição.

A normatização do Conselho Federal de Medicina estipula que óvulos só podem ser doados
anonimamente, quanto ao útero de substituição, entre parentes até 4 * grau, pode ser utilizado.
Situações pontuais, de falta de um parente para carrear a gestação, pode-se através dos Conselhos
Regionais de Medicina, entrar com um processo bem embasado, para utilização de útero não
aparentado. O sêmen, no caso pode ser de um dos parceiros.

O tratamento feito através da fertilização in vitro, é semelhante ao acima descrito, sendo que o
anonimato da doadora é obrigatório.

TRANSGÊNEROS:

Você que nasceu com um sexo anatômico, mas considera-se do sexo oposto, passa por uma série de
decisões e definições durante a vida, até o momento que assume aquela orientação. Até o momento de
iniciar sua transição, muito tempo pode passar, ou há casos que este momento é mais rápido.
Obviamente dependerá de cada indivíduo, família, e ambiente social, e principalmente a idade.

A transição é o momento da assunção e a partir dali se submeterá a um tratamento, para uma
transformação física. Este tratamento envolve uma terapia hormonal, com medicamentos à base
Estrogênio (hormônio feminino) ou androgênio (hormônio masculino).

Ideal seria que antes do início desta mudança o indivíduo tivesse uma consulta com o especialista de
fertilidade, para elucidar as tantas questões em relação a Reprodução futura.

Transgênero masculino (nascido mulher):

A utilização de Testosterona (hormônio masculino) criará mudanças significativas no seu corpo,
incluindo parar de ovular, e ter ciclos menstruais. Os seios dependerão da idade de início do
tratamento. Já desenvolvidos, apenas a cirurgia plástica, com a sua remoção poderá resolver. A
fertilidade pode ser restaurada em alguns meses após a parada da reposição hormonal (mas não
garantida)

Antes da Transição: Através da inseminação ou da relação sexual antes de iniciar a reposição hormonal,
pode ser uma opção para certas pessoas. Muitos não querem passar por esta opção, pelo tempo ou
falta de decisão sobre o que quer no futuro.

Congelamento de óvulos

Você pode preservar a chance de engravidar, pelo congelamento de óvulos antes do início de sua
transição/ inicio de medicação. Este tratamento envolve a utilização de medicações para estimular os
ovários, por 15 dias, aspiração destes óvulos, por via vaginal e sedação leve. Os óvulos congelados
podem ficar eternamente neste estado sem perder o potencial. Importante compreender, que não
estamos guardando uma gravidez ou bebe, mas o potencial daqueles óvulos poderem lhe dar uma
gestação no futuro.

Congelamento de Embriões

Outra opção é fertilizarmos estes óvulos com esperma de seu parceiro ou de sêmen de um banco,
congelando já o embrião para uso futuro. Esta opção envolve outras questões como guardar um
embrião, que para alguns pode ser uma vida!

Concepção com doador

Se você tem uma relação com uma mulher, pode-se usar um sêmen de Banco de Sêmen, para se criar
uma família. Se este é solteiro/a, deverá engravidar antes do início do tratamento, ou fazer uso de uma
doadora ou útero de substituição. Aquelas com uma parceira não transgénero, poderão engravidar com
o útero desta e iniciar seu tratamento.

Ter um Filho após o início do tratamento

Se você é solteiro ou tem como parceiro um homem, e preservou a sua fertilidade, poderá engravidar
usando os óvulos congelados, com esperma dele ou de Banco, e colocado o embrião em você ou em
útero de substituição.

Se não congelou os óvulos, e não se submeteu a retirada dos ovários, poderá produzir óvulos a partir
da parada dos hormônios masculinos. Esta modalidade deve ser monitorada pelo seu médico, pois a
manutenção destes durante a gravidez poderá afetar a evolução, e genitália do bebe.

Se você tem como parceira uma mulher você pode considerar usar sêmen de Banco de Sêmen. Se seu
parceiro é um homem, poderá utilizar um óvulo doado e útero de substituição. Você será legalmente
ligada a este bebe, mas não geneticamente.

Transgênero mulher (nascido homem)

O hormônio utilizado é o Estrogênio (feminino) irá ao longo do tempo inibir a produção de
espermatozoides, e tornar difícil uma ereção ou ejaculação. Seria incerto a retomada de produção de
espermatozoides, após cessar o uso de hormônios, mas não é impossível. Entretanto opções
reprodutivas existem depois da terapia.

Concepção Natural

Se você tem uma parceira mulher, concepção pela relação sexual ou inseminação artificial é o mais
simples e barato método de iniciar uma família, mas pode ser emocionalmente difícil.

Congelamento de Esperma

O congelamento de esperma antes do início do tratamento hormonal é o mais simples, rápido e seguro
método de preservar a fertilidade dos espermatozoides. Usualmente colhido por masturbação em uma
clínica especializada, ou pode ser colhido em casa, em recipiente fornecido pela clínica. O sêmen é
guardado em alíquotas separadas, servindo cada uma para uma tentativa. Habitualmente
recomendamos guardar 6 a 8 alíquotas de uma ou duas coletas.

Aqueles que não conseguem colher podem ser aspirado sob anestesia diretamente do testículo.

Reprodução Assistida

Aqueles com parceira mulheres poderão usar esse sêmen, em uma inseminação ou fertilização in vitro,
e os com parceiros masculinos, utilizar, a doação de óvulos e o útero de substituição.

Após o início da terapia hormonal

Se você guardou o esperma e tem o relacionamento com uma mulher, inseminação ou Fertilização in
vitro, se com homem, óvulos doados e útero de substituição.
Se você não guardou o esperma, e não fez cirurgia afeando os genitais, poderia parar os hormônios e
aguardar a volta da produção de espermatozoides, habitualmente, pode levar de 3 a 5 meses. Alguns
casos podem não ser reversíveis.

Se você tem como parceiro um Homem, deverá recorrer a uma doação de óvulos e útero de
substituição. Se sua parceira é uma mulher, você pode usar um banco de esperma.

Todas estas informações foram disponibilizadas, para melhor compreensão, de como a Medicina da
Reprodução, pode ajudar àqueles que desejam ter filhos, independentemente de sua orientação sexual.
Todo ser humano tem direito a ser feliz, cada um da maneira que melhor achar.

Leia mais

O que é uma varicocele?

Dr. Luiz Fernando Dale

O que é uma varicocele?
A varicocele é uma variação da anatomia normal em que as veias no escroto (o saco que mantém os
testículos) se tornam ampliadas e às vezes até visíveis. Varicocele geralmente é encontrado pela
primeira vez na puberdade e é muito mais comum no lado esquerdo do que no lado direito. Às vezes
ocorre em ambos os lados.

O que causa uma varicocele?
Os médicos não sabem o que causa uma varicocele. Em quase todos os casos, os machos nascem com
esta condição, mas não se torna aparente até a puberdade, quando há um aumento do fluxo sanguíneo
para os genitais.

Como é comum?
É relativamente comum, ocorrendo em cerca de 15% dos homens adultos.

Como é detectada uma varicocele?
Um varicocele é encontrado pelo exame físico quando o homem estiver em pé. Varicocele é muito
menos proeminente e pode desaparecer enquanto deitado. Um ultra-som não é necessário para
diagnosticar uma varicocele. A varicocele que é mostrado em ultra-som, mas não pode ser sentida no
exame físico é chamado de varicocele subclínica.

É um varicocele prejudicial?
Na maioria dos homens, a varicocele é apenas um achado anatômico sem significância clínica. No
entanto, uma varicocele pode levar à redução da fertilidade ou dor escrotal. Menos da metade dos
homens com varicocele tem uma redução da contagem de esperma e / ou motilidade espermática
(atividade espermática), reduzindo seu potencial reprodutivo. Menos de 5% dos homens com varicocele
têm dor no saco escrotal devido à varicocele. Varicoceles não causam outros problemas de saúde.

Como uma varicocele pode causar infertilidade?
Não se sabe como um varicocele pode causar infertilidade. A teoria mais popular é que varicocele eleva
a temperatura do escroto por causa de veias dilatadas e pelo acumulo de sangue, em volta do testiculo.

Quando deve ser tratada uma varicocele?
Homens com infertilidade e uma análise anormal do sêmen podem considerar o tratamento com
varicocele. Os homens com uma análise de sêmen normal não precisam de tratamento com varicocele.
Os homens que têm dor associada a uma varicocele podem considerar o tratamento com varicocele. A
varicocele subclínica não requer tratamento.

Como é tratada uma varicocele?
O tratamento mais comum é a cirurgia. Uma incisão é feita na virilha e o cordão espermático (que
contém o vaso deferentes e vasos sanguíneos indo para o testículo) é examinado. As veias são
amarradas enquanto as artérias, os vasos deferentes e os vasos linfáticos são deixados sozinhos. Esta
cirurgia é feita como um procedimento ambulatorial sob anestesia geral ou local.
Dois terços dos homens vêem melhora em suas análises de sêmen e cerca de 40% podem conseguir
uma gravidez. Uma alternativa à cirurgia é a embolização, realizada por um radiologista. Durante a
embolização, o radiologista utiliza um cateter para colocar uma bobina ou fluido na veia para bloquear
o fluxo sanguíneo através da veia.

Quais são os riscos da cirurgia de varicocele?
As complicações graves são raras. Os riscos incluem sangramento, infecção, lesão do testículo,
coágulos sanguíneos nas pernas e os riscos de anestesia geral. Cerca de 10% -15% dos homens que
têm varicocele cirurgia terá uma recorrência ou persistência de varicocele após a cirurgia.
Quais outros cuidado deve-se ter na indicação cirúrgica?
A idade da mulher. Como a melhora do esperma pode demorar de seis meses a um ano , e após um
ano , não melhorando , não devera melhorar mais. Mulheres abaixo de 35 anos tem tempo de
fertilidade para esta espera , já a partir de 35 anos devera ter reservas sobre fazer a cirurgia e esperar a
recuperação.

Leia mais

O que são miomas?

Dr. Luiz Fernando Dale

O que são miomas?

Os fibróides uterinos (também chamados de miomas ou leiomiomas) são tumores benignos (não
cancerosos) de tecido muscular encontrados no útero. Eles podem aumentar e / ou distorcer o útero
(útero) e às vezes o colo do útero (parte inferior do útero). Eles crescem a partir das células musculares
lisas na parede do útero.
Os fibróides podem ser singulares ou múltiplos e são muito comuns. Estima-se que miomas uterinos
afetam 8 em 10 mulheres afro-americanas e 7 em 10 mulheres caucasianas no momento em que
atingem a menopausa.
Miomas geralmente tornam-se perceptíveis durante os anos reprodutivos e tornar-se menor após a
menopausa. A maioria não causa sintomas e não requer tratamento. No entanto, dependendo do
tamanho e localização dos fibróides no útero, eles podem causar sintomas e exigem tratamento.

O que causa Miomas?

Miomas acontecem quando uma célula muscular geneticamente alterada na parede do útero produz
tecido muscular excessivo, criando uma massa que se amplia. A causa exata dos miomas não é clara,
mas a evidência sugere que tanto a genética quanto os hormônios desempenham papéis. Por exemplo,
fibróides são ligeiramente mais comuns em mulheres afro-americanas, em comparação com as
mulheres caucasianas. Estrogênio e progesterona (hormônios produzidos principalmente pelos ovários)
podem estimular o crescimento de fibróides. Após a menopausa, quando os níveis hormonais são
baixos, miomas raramente crescem e encolhem com freqüência. Há pouca evidência de que os fatores
nutricionais ou de estilo de vida afetam o crescimento e o desenvolvimento dos fibróides. Da mesma
forma, medicamentos como pílulas anticoncepcionais de baixa dose têm pouco ou nenhum impacto
sobre o crescimento dos fibróides.

Onde são encontrados miomas?

Miomas são encontrados geralmente dentro ou em torno do corpo do útero, mas ocorrem às vezes no
cervix. Fibroides dentro do útero podem ser divididos em três categorias.
• Subserosos estão localizados na parede externa do útero (55%).
• Intramurais são encontradas nas camadas musculares da parede uterina (40%).
• Submucosos protrusão para a cavidade uterina (5%).
Os miomas podem ser conectados ao útero através de um pedúnculo (pediculados) ou podem ser
unidos aos órgãos próximos tais como a bexiga e o intestino, ou aos ligamentos que cercam o útero.
Fibróides raramente são encontrados fora da cavidade pélvica.

Que tipo de sintomas causa os miomas?

Os sintomas de miomas estão relacionados ao seu tamanho e localização. A maioria das mulheres com
miomas uterinos não apresentam sintomas. Os sintomas mais comuns são sangramento uterino
anormal, dor e pressão pélvica.

Hemorragia uterina anormal
Hemorragia uterina anormal é o sintoma mais comum quando os miomas estão localizados ou perto do
revestimento do útero e é a principal razão para solicitar tratamento para fibróides. Como o
sangramento uterino pode ser devido a outras condições, como câncer de endométrio e problemas
hormonais, é importante que as mulheres com miomas que sofram de sangramento vaginal anormal
sejam submetidas a uma avaliação completa para outras causas de sangramento.

Dor
Um mioma de aumento rápido pode superar o suprimento de sangue e degenerar, causando dor e
cólicas. Miomas que são unidos ao útero por um pedículo fino podem torcer e causar a dor severa.
Miomas uterinos grandes também podem fazer a relação sexual ou certas ações dolorosas. As mulheres
com miomas podem também sentir cólicas menstruais dolorosas.

Sintomas de pressão
Os miomas grandes podem pressionar os órgãos pélvicos próximos. Se o mioma pressiona na bexiga,
que fica na frente do útero, freqüência urinária ou urgência pode ocorrer. A pressão sobre os ureteres
(os tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga) pode resultar em danos nos rins se os
miomas não forem removidos. Miomas no útero inferior podem exercer pressão sobre o intestino
grosso e reto, o que poderia causar intestinos dolorosos, constipação, hemorróidas, ou forma alterada
de fezes.

Os miomas causam infertilidade?

Os miomas podem ser associados à infertilidade. Conseguir a gravidez em mulheres com infertilidade
tem sido mais difícil em mulheres com miomas do que mulheres sem miomas ou mulheres que tiveram
seus miomas removidos. Além disso, para as mulheres submetidas à fertilização in vitro (FIV), as taxas
de sucesso da gravidez podem ser menores em mulheres com miomas. O local onde os miomas se
desenvolvem pode ser um fator no seu papel na infertilidade, com aqueles que se projetam na cavidade
(submucosa) e aqueles na camada muscular (intramural) causando mais problemas.
O que acontece com miomas durante a gravidez?
Os miomas podem crescer durante a gravidez e podem alterar a forma como o bebê está posicionado
no momento do parto. Além disso, miomas aumentam o risco de uma cesariana, aborto espontâneo e
parto prematuro. Dependendo de onde os miomas estão localizados, eles também podem levar a
problemas durante o parto, incluindo sangramento e separação prematura da placenta.

Os miomas podem ser cancerosos?

O risco geral de miomas fibrosos é de aproximadamente 1 em 1.000 (dos miomas removidos) nos
anos reprodutivos e é mais comum em mulheres após a menopausa. Os cancros decorrentes de
miomas uterinos são chamados leiomiossarcomas. Um mioma que cresce após a menopausa pode ser
um leiomiossarcoma, caso em que a remoção do útero (histerectomia) é necessária.

Como os miomas são diagnosticados?

Exame pélvico
Miomas uterinos são freqüentemente encontrados no exame pélvico, avaliando a forma e o tamanho do
útero. Às vezes, um exame pélvico sozinho pode não ser suficiente para distinguir um fibróide de uma
massa ovariana perto do útero. Além disso, miomas menores podem não ser encontrados no exame
pélvico. Estudos de imagem, como ultrassom, podem ser usados para confirmar os achados.
Ultra-som
O ultra-som utiliza os ecos das ondas sonoras de alta freqüência para criar uma imagem dos órgãos
pélvicos. Porque miomas variam em tamanho e localização, ultra-som através da parede abdominal e
usando uma sonda colocada na vagina pode ser usado para melhor ver os fibróides.
Histeroscopia
Histeroscopia é um exame em que se coloca uma câmara de TV pelo colo do útero e adentra-se a
cavidade. Podemos avaliar se existem abaulamentos ou protrusão do mioma para centro da cavidade
Ressonância Magnética (MRI)
A Ressonância Magnética (MRI) usa campos magnéticos para formar imagens do corpo. Uma vez que
os miomas são diagnosticados, uma ressonância magnética pode ser útil para identificar sua localização
no útero para determinar as melhores opções de tratamento.

Leia mais